Encontre o local que faça a coleta ou e reciclagem dos resíduos sólidos e perigosos. Clique aqui

Mark Harpur

Coca-Cola, Pepsi e Nestlé são as maiores geradoras de poluição plástica no mundo

Empresas acusadas de “progresso zero” na redução de resíduos plásticos

A Coca-Cola foi classificada como a poluidora de plástico número 1 do mundo pela Break Free From Plastic em sua auditoria anual, depois que suas garrafas de bebidas foram as mais encontradas descartadas em praias, rios, parques e outros locais de lixo em 51 das 55 nações pesquisadas. No ano passado, foi a garrafa mais encontrada em 37 países, dos 51 pesquisados.

Verificou-se que foi pior do que a PepsiCo e a Nestlé juntas: a marca Coca-Cola foi encontrada em 13.834 peças de plástico, com a marca PepsiCo em 5.155 e a Nestlé em 8.633.

A auditoria anual, realizada por 15.000 voluntários em todo o mundo, identifica o maior número de produtos plásticos de marcas globais encontrados no maior número de países. Este ano, foram coletados 346.494 resíduos plásticos, dos quais 63% foram marcados claramente com uma marca de consumo.

A Coca-Cola foi incendiada por ativistas ambientais no início deste ano, quando anunciou que não abandonaria garrafas plásticas, dizendo que eram populares entre os clientes. Em março, Coca-Cola, PepsiCo, Nestlé e Unilever foram consideradas responsáveis por meio milhão de toneladas de poluição plástica em seis países em desenvolvimento a cada ano, em uma pesquisa da ONG Tearfund.

“As principais corporações poluidoras do mundo afirmam estar trabalhando duro para resolver a poluição plástica, mas, em vez disso, continuam a bombear embalagens plásticas de uso único prejudiciais”, disse Emma Priestland, coordenadora global da campanha do Break Free From Plastic.

Priestland disse que a única maneira de deter a crescente maré global de lixo plástico era parar a produção, eliminar gradualmente o uso único e implementar sistemas de reutilização.

“Coca-Cola, PepsiCo e Nestlé deveriam estar liderando o caminho na busca de soluções reais para reinventar a forma como entregam seus produtos”, disse ela.

Até 91% de todo o lixo plástico já gerado não foi reciclado e acabou sendo incinerado, em aterro sanitário ou no ambiente natural, segundo um estudo de 2017.

A auditoria global deste ano dos resíduos plásticos da marca revelou que sachês de uso único, que são usados para vender pequenos volumes de produtos como ketchup, café e xampu, eram o tipo de item mais comumente encontrado, seguido por bitucas de cigarro, depois garrafas plásticas.

Simon Mbata, coordenador nacional da Associação Sul-Africana de Catadores, disse: “A maioria do plástico que encontramos não pode ser reciclada. Nós o encontramos em todos os lugares, em nosso fluxo de lixo, em nossa terra. Quando está enterrado, contamina nosso solo. O que não pode ser reciclado não deve ser produzido.”

A Coca-Cola disse que estava trabalhando para resolver os resíduos de embalagens e contestou a alegação de que não estava fazendo nenhum progresso.

“Globalmente, temos o compromisso de recuperar todas as garrafas até 2030, para que nenhuma delas acabe como lixo ou nos oceanos, e o plástico possa ser reciclado em novas garrafas”, disse um porta-voz. “Garrafas com plástico 100% reciclado estão agora disponíveis em 18 mercados ao redor do mundo, e isso está crescendo continuamente.”

O porta-voz disse que a Coca-Cola também reduziu o uso de plástico em embalagens secundárias, e que globalmente “mais de 20% do nosso portfólio vem em embalagens recarregáveis ou de fontes”.

Um porta-voz da PepsiCo disse que a empresa estava tomando medidas para combater as embalagens por meio de “parceria, inovação e investimentos”. Eles disseram que estabeleceu metas de redução de plástico “incluindo a diminuição do plástico virgem em nosso negócio de bebidas em 35% até 2025 e a reutilização de refil através de empresas como SodaStream e SodaStream Professional, que esperamos evitar 67 bilhões de garrafas plásticas de uso único até 2025”.

Um comunicado da Nestlé disse que a empresa estava fazendo “progressos significativos” em embalagens sustentáveis, embora reconhecesse que mais era necessário: “Estamos intensificando nossas ações para tornar 100% de nossas embalagens recicláveis ou reutilizáveis até 2025 e reduzir o uso de plásticos virgens em um terço no mesmo período. Até agora, 87% da nossa embalagem total e 66% das nossas embalagens plásticas são recicláveis ou reutilizáveis.”