Manter o site, de um modo geral custa tempo e dinheiro, mas fazemos isso porque acreditamos que o nosso trabalho é importante. Saiba mais

Encontre o local que faça a coleta ou e reciclagem dos resíduos sólidos e perigosos. Clique aqui

B

B2 – A mistura de 2% de biodiesel ao diesel de petróleo é chamada de B2 e assimsucessivamente, até o biodiesel puro, denominado B100.

B2B – Comercio eletrônico entre empresas.

B2Bi – Business-to-Business integration, que permitem integração ponto a ponto entreduas empresas.

B2C – BUSINESS-TO-CONSUMER – Comércio eletrônico de empresas para oconsumidor.

BACIA – Conjunto de vales de um rio e de seus afluentes

BACK ORDER – Pedido em atraso.

BACK SCHEDULING – Programação Retrocedente.

BACKFLUSHING OU BAIXA POR EXPLOSÃO – Baixa no estoque do grupo de peças ecomponentes utilizados na montagem ou fabricação de determinado equipamento ou produto.

BACKLOG – Carteira de pedidos dos clientes, ainda não atendida. Pedido Pendente.

BACKORDER – Demanda de itens, que não pode ser atendida por falta de estoquedestes itens. Pedido em atraso.

BAGAGEM – Pertences de viajantes, acondicionados em malas, sacos, baús, caixas, etc.Volumes levados pelos passageiros no mesmo carro em que viajam, até os limites de peso e dimensões estabelecidos, não sujeitos a frete ou despacho.

BAIA – Área designada dentro de um armazém definido por marcas em colunas, postesou piso.

BAIXA EM ESTOQUE DE ÚNICO NÍVEL (SINGLE-LEVEL BACKFLUSH) – Dedução emestoque das peças usadas no nível seguinte de uma montagem.

BAIXA NO PONTO DE CONTAGEM (COUNT POINT BACFLUSH) – Baixa que usa maisde um nível na lista de materiais retornando aos pontos anteriores onde a produção passou por contagem.

BAIXA POR EXPLOSÃO (BACKFLUSHING) – Dedução no registro de estoque daspeças e componentes utilizados em uma montagem ou submontagem explodindo a lista de materiais de acordo com a contagem das montagens realizadas.

BALANCE SCORE CARD – Sistema de gestão baseado em indicadores de desempenhoe estratégias, que fornece uma abordagem de alinhamento das atividades do negócio e um monitoramento do desempenho das metas estratégicas da organização.

BALANCEAMENTO – Tarefa de distribuir os elementos de um trabalho de maneiraadequada entre as duas mãos de um operador.

BALANCEAMENTO DE LINHA (LINE BALANCING) – Determinação do mix de produtosa ser inserido em uma linha de montagem para proporcionar consistência no fluxo de material e planejamento do rítmo de trabalho. Isso é feito pela designação das tarefas numa linha de montagem às destações de trabalho.

BALANCEAMENTO DE PEÇAS DO PERÍODO (PART PERIOD BALANCING – PPB) – Técnica dinâmica para dimensionamento de lote que usa a mesma lógica que o método de custo total mínimo, mas que acrescenta uma rotina chamada “look ahead/look back”. Quando se utiliza o “look ahead/look back”, calcula-se uma quantidade de lote e antes de ser fixada, a demanda seguinte ou as demandas dos períodos anteriores são avaliadas para determinar se seria economicamente viável incluí-tos no lote atual.

BALANCED SCORECARD (BALANCED SCORECARD) – Um sistema de gerenciamentobaseado em indicadores e estratégias, originado por Robert Kaplan e David Norton, que fornece um método de alinhamento das atividades do negócio para uma estratégia e monitoramento do desempenho das metas estratégicas no tempo.

BALANÇO DO CAMINHÃO – Distância entre o plano vertical passando pelos centros dasrodas traseiras extremas, e o ponto mais recuado do veículo considerando-se todos os elementos rigidamente fixados ao mesmo.

BALSA – Embarcação utilizada em rios e canais para o transporte de veículos e pessoas.

BANK PLAN (EM TRANSPORTE) – Também conhecido como plano de pagamento dofrete. Procedimento de coleta e cobrança pelo qual uma instituição bancaria age como intermediário para facilitar a coleta e cobrança.

BANQUETA – Parte da plataforma entre o fim do lastro e a valeta, nos cortes, ou a cristados aterros. No lastro, é a parte que vai da face do dormente à crista do lastro.

BANQUETA DE CORTE – O degrau para distribuir a altura do corte, visando melhorar aestabilidade. Varia de 8 a 10 metros de altura, até atingir o off set.

BANQUETA DE LASTRO – Faixa de lastro superior compreendido entre o topo dodormente e a crista do lastro.

BAR CODE – Código de barras.

BARCAÇA (BARGE) – Embarcação usada em canais e rios para o transporte de cargas.

BARRA DE TRILHO – Dimensão em que os trilhos são fornecidos – geralmente emcomprimento de 12, 18, e 24 metros.

BASE DO LASTRO – Superfície inferior do lastro apoiada no sub-lastro ou na plataforma.

BASE DO SUB-LASTRO – Superfície inferior do sub-lastro apoiada na plataforma.

BASTÃO-PILOTO – Elemento representativo da licença em trecho cujo sistema delicenciamento adotado é o staff elétrico. É um bastão de aço de forma cilíndrica, apresentando saliências e tem gravado, em uma de suas extremidades, os nomes das duas estações delimitatórias do trecho em que o mesmo tem validade.

BATCH PICK – Separação em Lote.

BATCH PROCESSING – Processamento por Lotes.

BAÚ – São carrocerias fechadas com chapas de alumínio e com cubagem padrão.

BENCHMARK – Índices para o estabelecimento de metas de melhorias nos processosdos produtos.

BENCHMARK MEASURE – Conjunto de avaliações ou métricas derivadas de empresas“best in class” que são utilizadas para o estabelecimento de objetivos para melhoria dos processos, funções, produtos, etc.

BENCHMARKING COMPETITIVO – Atividade da busca das melhores práticas junto aosconcorrentes diretos da empresa.

BENCHMARKING FUNCIONAL – Atividade da busca das melhores práticas junto aorganizações reconhecidas como líderes numa determinada função em qualquer indústria/mercado.

BENCHMARKING GENÉRICO – Atividade da busca das melhores práticas genéricas deempresas reconhecidas como sendo de “classe mundial”

BENCHMARKING INTERNO – Atividade da busca das melhores práticas junto a outrosdepartamentos, divisões ou unidades de uma mesma empresa.

BENS DE CONSUMO DURÁVEIS (DURABLE PRODUCTS) – Produtos com ciclo de vidaacima de três anos.

BERÇO – Local onde navio atraca.

BIFURCAÇÃO – Ponto em que a linha férrea se divide em duas.

BIG-BAG – Expressão popular de se chamar os contentores ou contenedores flexíveis,geralmente feito de polietileno.

BILHETE DE EMBARQUE (PACKING SLIP) – Documento que informa detalhadamenteos itens contidos em determinada embalagem, caixa, palete ou contêiner para expedição ao cliente. Detalhes incluem uma descrição de itens, código do cliente, quantidade expedida e SKU de itens expedidos.

BILL OF LADING – B/L – Conhecimento de Embarque, Conhecimento Marítimo,documento do armador, preenchido pelo embarcador e assinado pelo comandante ou o agente do navio, confirmando o recebimento de determinada carga a bordo (ou para embarque) e especificando, entre outros vários detalhes, o frete pago ou a ser pago no destino. É, ao mesmo tempo, um recibo de bordo, um título de posse e uma evidência de contrato de transporte, cujas cláusulas estão incorporadas no mesmo.

BILL OF LANDING – Contrato de frete e recibo, para transportar de um lugar para outro eentrega para determinada pessoa ou empresa, servindo para reclamações no caso de perdas, demora ou danos na mercadoria.

BIN – Dispositivo de armazenamento dedicado para acumular peças pequenas e emgrandes quantidades.

BIN STORAGE – Estocagem em contenedores.

BIODIESEL – É um combustível biodegradável derivado de fontes renováveis, que podeser obtido por diferentes processos tais como o craqueamento, a esterificação ou pela transesterificação. Pode ser produzido a partir de gorduras animais ou de óleos vegetais, existindo dezenas de espécies vegetais no Brasil que podem ser utilizadas, tais como mamona, dendê (palma), girassol, babaçu, amendoim, pinhão manso e soja, dentre outras.

BIOMECÂNICA (BIOMECHANICS) – O estudo das forças mecânicas que estãoenvolvidas nos movimentos do corpo humano, incluindo a interação entre os indivíduos e seu meio ambiente físico.

BIOMECÂNICA (BIOMECHANICS) – Ciência da engenharia para estudo dos movimentosdo corpo.

BITOLA – Distância entre as faces internas dos boletos dos trilhos, tomada na linhanormal a essas faces, 16 mm abaixo do plano constituído pela superfície superior do boleto.

BITOLA DE RODEIRO – Distância entre pontos das rodas de mesmo rodeiro, maispróximos aos trilhos, medida perpendicularmente às linhas de bitola.

Bitola mista – Via férrea com três ou mais trilhos, para permitir a passagem de veículos com bitolas diferentes.

BITOLA STANDARD (INTERNACIONAL) – Igual a 1,435 m, oficialmente adotada pelaConferência Internacional de Berna, em 1907.

BI-TREM OU REBOQUE – É o conjunto monolítico formado pela carroceria com oconjunto de dois eixos e pelo menos quatro rodas. É engatado na carroceria do caminhão para o transporte, formando um conjunto de duas carrocerias puxadas por um só caminhão. É muito utilizado no transporte de cana de açúcar.

BLOCAGEM – Empilhamento simples sem uso de estruturas de verticalização, no qual ospáletes são empilhados diretamente no chão. Sistema de armazenagem onde o próprio pálete é utilizado no solo formando grandes blocos de materiais (geralmente para mercadorias com grande giro e volume).

BLOCK SCHEDULING – Programação por Blocos.

BLOQUEIO – Sistema de licenciamento a intervalo de espaço em que um trem que circuleno trecho fica bloqueado por sinais arvorados nas extremidades desse trecho.

BLUE TOOTH – Comunicação sem fio entre aparelhos.

BM – Buffer Management.

BOARDS – Primeiro nível da escala administrativa, tem a missão de proteger e valorizar opatrimônio, bem como maximizar o retorno do investimento.

BOAS PRÁTICAS DE MANUFATURA (GOOD MANUFACTURING PRACTICES – GMP) – Conjunto de normas e regras estabelecidas geralmente pelas indústrias alimentícias efarmacêuticas que visam regulamentar o ambiente (fabril) de trabalho.

BOCA DA SEÇÃO DE CORTE – Distância entre as cristas opostas do corte, medida naseção considerada.

BOCA DO CORTE – Parte do corte situada na vizinhança do ponto de passagem (PP).

BOLSÃO – Depressão na plataforma da linha, dentro da qual a água penetra e ficaconfinada.

BOM – Bill of Materials – Listagem de peças, submontagens e matérias-primas para umamontagem específica, com a identificação da quantidade necessária de cada uma.

BOMBORDO – Lado esquerdo do navio.

BONDE (BONDE, CONEXÃO) – Condutor elétrico de pequeno comprimento, geralmentede cobre, que é ajustado ou soldado na extremidade dos trilhos de uma junta livre, a fim de manter a continuidade de circuito de via e ainda, o retorno da corrente nas vias eletrificadas.

BONDED WAREHOUSING – Armazém Alfandegado.

BORRA DO PRESERVATIVO – Deposito gelatinoso ou pastoso que, eventualmente seforma no preservativo oleoso, após a preservação da madeira.

BOX – Área de acumulação de cargas de um mesmo destino ou para um determinadodestino para descarregamento e carregamento de veículos.

BPF – Boas Práticas de Fabricação.

BRAINSTORMING (TEMPESTADE DE IDÉIAS) – Técnica de reunião em que osparticipantes expõem livremente suas idéias, sem censura, em busca de solução criativa para um determinado assunto ou problema, uma campanha publicitária, etc., com alguém estimulando a todos e anotando tudo falado.

BREAK-BULK – Expressão utilizada no transporte marítimo, que significa o transporte decarga geral, solta ou fracionadas, não conteinerizada e sem homogeneidade.

BREAK-EVEN POINT – É o nível de produção ou nível de volume de vendas a partir doqual o empreendimento ou negócio se torna rentável. Qualquer valor abaixo do Ponto de Equilíbrio significa prejuízo.

BREAKTROUGH – Atingir um nível superior de competitividade através de uma rupturados procedimentos atuais; concentração das ações de melhoria nos processos.

BRIEFING – Resumo do assunto que está sendo divulgado aos meios de comunicação.

BRITA – Pedra quebrada nas dimensões determinadas pelas normas técnicas

BROADCASTING – Envio de mensagem para múltiplos destinatários, ao mesmo tempo.

BROCA – Ferramenta utilizada para furar. Inseto que ataca a madeira ou ainda furodeixado pelo inseto no dormente.

BROCA CHATA PARA TRILHOS – Ferramenta especial para furar trilhos.

BROCA DE MADEIRA – Inseto xilófago que na fase larval, perfura o tecido lenhoso deárvore viva ou morta para alimentar, abandonando o furo após a fase larval e passando a viver ao ar livre.

BROKER – Aquele que compra ou vende produtos ou serviços mediante uma comissão.

BROKERAGE HOUSE – Empresas de intermediação de fretamento marítimo.

BRÓZIO – Podridão com desintegração da medula.

BRUNORIZAÇÃO – Tratamento patenteado do trilho pelo calor. Homogeneização do aço.

BSC – Balanced ScoreCard ou Indicadores de Desempenho Organizacional.

BTB ou B2B – Business-to-Business ou comércio eletrônico entre empresas.

BUCHA – Peça de madeira para preenchimento de furo no dormente por cravação.

BUDGET – Plano que demonstra uma estimativa das receitas, despesas e custosrelacionados com uma atividade planejada. Fornece a base para o controle da operação.

BUEIRO – Constituído por tubos de concreto, ferro fundido, aço galvanizado ou aindatubos plásticos (rib loc, Armco e outros). Sua vazão é determinada em função da bacia hidrográfica e da precipitação anual na região, podendo ser simples (uma seção de vazão), dupla (duas seções de vazão), tripla, etc.

BUFFER – Pulmão

BUFFER INVENTORY – Estoque-pulmão.

BULK CARGO – Carga à granel, ou seja, sem embalagem.

BULK CARRIER – Navio graneleiro, ou seja, próprio para o transporte de cargas à granel.

BULK CONTAINER – Contêiner graneleiro, ou seja, próprio para o transporte de cargas agranel.

BULK STORAGE – Estocagem a granel.

BURRO – Guindaste auto-propulsado, com rodeiros ferroviários.

BUSINESS INTELLIGENCE (BUSINESS INTELLIGENCE) – Conjunto de softwares queajudam em decisões estratégicas.