Manter o site, de um modo geral custa tempo e dinheiro, mas fazemos isso porque acreditamos que o nosso trabalho é importante. Saiba mais

Encontre o local que faça a coleta ou e reciclagem dos resíduos sólidos e perigosos. Clique aqui

A

ABASTECIMENTO DIRETO – Canal de distribuição com a ausência de intermediários entre o produtor e o consumidor final. O produtor assume as responsabilidades que normalmente são repassadas a um intermediário.

ABASTECIMENTO DIRETO (DIRECT SUPPLY) – Sem intermediários entre produtor econsumidor.

ABASTECIMENTO INDUSTRIAL – Atividade dedica a prover à empresa todas as suasnecessidades de serviços, ativos fixos, materiais, utilidades e cuidar da recuperação, venda e descarte de seus resíduos de equipamentos, materiais, efluentes e energia.

ABASTECIMENTO INTEGRADO (INTEGRATED SUPPLY) – Feito mediante acordo entre duas oumais organizações para maximizar a eficiência de cada uma das partes.

ABATIMENTO (ALLOWANCE) – Dedução do peso ou valor de produtos.

ABATIMENTO DA MOLA – Compressão da porca por pressão elástica

ABATIMENTO DA PLATAFORMA – Compressão no greide

ABC – Activity Based Costing ou Custeio Baseado em Atividades. Método contábil quepermite que a empresa adquira um melhor entendimento sobre como e onde realiza seus lucros.

ABC  INVENTORY CONTROL – Trata-se de um sistema de controle das existências,baseado nos conceitos da distribuição ABC.

ABC ANALYSIS – Exame e conclusões da classificação ABC.

ABC CLASSIFICATION OU CLASSIFICAÇÃO ABC – Utilização da Curva de Pareto paraclassificar produtos em três categorias, usando critérios de demanda e valor.

ABERTO PARA COMPRA (OPEN-TO-BUY) -Técnica de controle usada na gestão deestoques em que as autorizações de compra são efetuadas sem existir compromisso com fornecedores específicos. Estas autorizações geralmente são revistas pela direção usando medidas como valor monetário e tempo.

ABERTO PARA RECEBIMENTO (OPEN-TO-RECEIVE) – Autorização para receberprodutos como pedido de compra em aberto ou programa de fornecedor. Open-to-receive representa impacto a curto prazo no estoque e freqüentemente é monitorado como uma técnica de controle na gestão de estoques.

ABSENTEÍSMO  – Falta ao trabalho de um operário que foi escalado para aquela ocasião.

ABSORÇÃO (ABSORPTION) – Situação em que a transportadora arca com custos de serviçosespeciais em incluí-los no frete. Apropriação de custos indiretos com base em rateios por taxas de aplicação. Pagamento de frete para equalização de custos.

ACABADORA – Equipamento motorizado que dá ao lastro sua forma final, de acordo com operfil adotado.

ACABAMENTO DO LASTRO (COMPOSIÇÃO DO LASTRO) – Operações para dar à superfície dolastro superior a forma definitiva

AÇÃO – Etapa que ocorre dentro de uma operação; ato de transformação ou criação.

AÇÃO CONTENTORA – Ação que faz cessar de maneira imediata, os sintomas deanomalias sentidos pelos clientes.

AÇÃO CORRETIVA (1) – Ação implementada para eliminar as causas de uma não-conformidade, de um defeito ou de outra situação indesejável existente, a fim de prevenir a sua repetição.

AÇÃO CORRETIVA (2) – Ação que elimina permanentemente e pela raiz a causa de umdeterminado problema.

AÇÃO PREVENTIVA – Ação implementada para eliminar as causas de uma possível não-conformidade ou outra situação indesejável, a fim de prevenir a sua ocorrência.

ACCURACY – Grau de conformidade em relação a um padrão.

ACEIRO – Retirada completa da vegetação de uma faixa de terreno, para evitar o fogo ousua propagação.

ACEITE (ACCEPTANCE) – Aprovação de uma cotação para entrega de produto ou serviço.

ACESSIBILIDADE (ACCESSIBILITY) -Capacidade de um transportador prestar serviçoentre uma origem e um destino

ACESSÓRIO DE VIA – Aparelho de mudança de via, girador, para-choques e a outrospertences metálicos da via, tais como placas de apoio, talas de junção, grampos, etc.

ACF – Attainable Cubic Feet ou Espaço Cúbico Permitido.

ACKNOWLEDGEMENT OF RECEIPT OU CONFIRMAÇÃO DE RECEBIMENTO – Notificação relacionada a algo recebido.

AÇÕES CORRETIVAS (1) – Mudanças realizadas para ajustar às performances futurasda implantação do projeto às linhas planejadas anteriormente.

AÇÕES CORRETIVAS (2) – Uma mudança no Projeto ou no Processo deFabricação/Montagem para prevenir ou reduzir a ocorrência de uma causa, de um modo de falha ou atenuar os efeitos de um modo de falha. Uma ação implementada para eliminar uma deficiência de projeto ou processo. As ações recomendadas reduzem pelo menos um dos índices: Severidade, Ocorrência, Detecção.

ACOLCHOAMENTO – Resultado da aplicação de elementos protetores contra choques evibrações.

ACOMPANHAMENTO (TRACKING/FOLLOW-UP)– Verificação de perdas de cargas e forma derecuperá-los depois do embarque, realizada por meio do registro do número de conhecimento e data, de veículo, de manifesto, do embarcador e do destino.

ACONDICIONAMENTO (1) – Dados relativos à apresentação coletiva de um item,constituídos do tipo de recipiente de acondicionamento de conteúdo (quantidade e unidade de embalagem). Exemplo: Caixa com 50 latas.

ACONDICIONAMENTO (2) – Recipiente destinado a proteger, acomodar e preservarmateriais destinado a expedição, embarque, transporte e armazenagem. São: sacos, barris, barricas, tambores, tonéis, baldes, caixas, engradados, pacotes, amarrados, cilindros, botijões, caixotes, camburões, fardos e que tais.

ACONDICIONAMENTO (3) – Recipiente ou invólucro destinado a proteger e acomodarmateriais e equipamentos embalados, ou para os quais não se utiliza embalagem por ser desnecessário ou inaplicável.

ACONDICIONAMENTO DE TRANSPORTE – Meios de transporte, tais como cofres decarga, carrocerias e tanques de caminhões, vagões e tanques ferroviários e tanques portáteis.

ACORDO DE CO-FABRICANTE (CO-MAKER AGREEMENT) -Acordo feito entre o fornecedor/co-fabricante e o cliente pelo qual, além do objetivo e termo do acordo, traz anotações de longo prazo: tempos de entrega, confiabilidade de entrega, desempenho da qualidade/quantidade, procedimentos para efetuar redução no preço, cooperação no desenvolvimento de novos produtos, entre outros.

ACORDO DE PEGAR OU PAGAR (TAKE OR PAY AGREEMENT) – Realizado entrecomprador e vendedor, com definição da quantidade a ser paga pelo primeiro durante determinado período independentemente do número de itens necessários.

ACORDO OU CONTRATO DE NÍVEL DE SERVIÇO (SERVICE LEVEL AGREEMENT  SLA) – Realizado com definição das exigências relacionadas com o serviço contratadobem como das penalidades em caso de não cumprimento.

ACTIVITY-BASED-COSTING – ABC – Sistema de custeio que acumula custas nasatividades desenvolvidas e utiliza Cost Drives para absorver estes custos nos produtos, clientes, mercados ou projetos.

ACUMULAÇÃO (ACCUMULATING) -Atividade de combinar estoques homogêneos deprodutos ou materiais em grandes quantidades.

ACÚMULO DE PERDAS DE RENDIMENTO (CASCADING YIELD LOSS) -Condição emque ocorre perda de rendimento em múltiplas operações ou tarefas.

ACURÁCIA (ACCURACY) – Grau de conformidade com o padrão estabelecido.

ACURÁCIA DE ESTRUTURA DE PRODUTO (PRODUCT STRUCTURE ACCURACY) -Grau de conformidade relativo às proporções de um produto.

ACURÁCIA DE PRECISÃO (FORECASTING ACCURACY) – Grau de conformidade entrequantidades previstas e efetivas.

ACURÁCIA DE REGISTROS (RECORD ACCURACY) – Grau de conformidade entre osdados de registros e os dados físicos.

ACURACIDADE – Grau de conformidade com o padrão.

ACURACIDADE DE REGISTROS (RECORD ACCURACY) -Conformidade dos dados deregistro com os dados físicos. Por exemplo, em um sistema de controle de estoque, lista de materiais, lista de funcionários; e outras.

ACURACIDADE DO INVENTÁRIO (COMO INDICADOR DE EFICÁCIA) – É a quantidadede itens com saldo correto, dividida pela quantidade de itens verificados, vezes 100.

AD VALOREM – Taxa de seguro cobrada sobre certas tarifas de frete ou alfandegáriasproporcionais ao valor total dos produtos da operação (Nota Fiscal).

ADERÊNCIA – Resistência que se opõe ao escorregamento. É o atrito entre a roda e otrilho que impede a patinação das rodas motoras e permite o deslocamento do trem.

ADIAMENTO -Adiamento da finalização do produto até receber de fato o pedidocustomizado.

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS (MATERIALS MANAGEMENT) -Agrupamento defunções gerenciais que apoiam todo o ciclo do fluxo de materiais de aquisição e controle interno de materiais de produção ao planejamento e controle de material em processo para o armazém, expedição e distribuição do produto acabado.

ADMINISTRAÇÃO LOGÍSTICA – Processo de planejamento, implementação e controledo fluxo eficiente e eficaz de matérias-primas, estoque de produtos semi-acabados, acabados e do fluxo de informações a eles relativos, desde a origem até o consumo, com o propósito de atender aos requisitos dos clientes.

ADMINISTRAÇÃO POR FUNÇÕES (FUNCTION MANAGEMENT) -A administração porfunções agrupa cargos pelas habilidades necessárias ao desenvolvimento das atividades e pelo desejo de controlar e minimizar riscos.

ADMINISTRAÇÃO POR PROCESSOS (PROCESS MANAGEMENT) – A administraçãopor processos agrupa cargos em torno de um fluxo de atividades que visa atender às necessidades dos clientes.

ADR -Articles Dangereux de Route ou Transporte de Artigos Perigosos.

ADUANA (CUSTOM) – Impostos ou taxas, definidos pelo Governo, sobre produtosimportados ou exportados de um país.

AEROPORTO (AIRPORT) – Instalação em terra para pouso e decolagem de aeronaves.

AEROPORTO HUB (HUB AIRPORT) -Aeroporto que serve como ponto para início econclusão de vôos de longa distância: vôos a áreas de custo maior são levados ao aeroporto hub para vôos com conexão/re-despacho.

A-FRAME – É um sistema de alta produtividade capaz de separar centenas de pedidosem um curto espaço de tempo, com grande precisão e com reduzido quadro de pessoal. É um sistema modular, integrado por uma esteira transportadora, sobre a qual existe uma estrutura composta de uma série de canais que cobre ambos os lados da esteira. Cada canal trabalha com um determinado SKU, tendo capacidade de armazenar diversas unidades. No final da linha os produtos são automaticamente transferidos para caixas e transportados para as áreas de embarque.

AFRMM – Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante.

Aftermarket – Pós-venda.

AGENTE DE EXPEDIÇÃO (SHIP AGENT) -Representante que facilita a chegada donavio, liberação, carga ou descarga, e pagamento de tarifas em um porto específico.

AGENTE DE PEDIDOS (ORDER CLERK) -Pessoa encarregada de ler e assegurar aacuracidade dos pedidos.

AGENTE DE TRANSPORTES (FORWARDER) -Parte que providencia o transporte deprodutos incluindo serviços afins e/ou formalidades envolvidas em nome de um expedidor ou consignatário.

AGENTE INTERMEDIÁRIO (AGENT/BROKER) -Pessoa responsável pela negociaçãode contratos para compra e venda de produtos mediante uma comissão. Eles se encontram em quase todos os setores logísticos, desde a prestação de serviços de transporte tanto a nível nacional quanto internacional até a locação de equipamentos.

AGENTE MARÍTIMO – Empresa intermediária que, em nome e por conta do armador ouda empresa de navegação proprietária do navio, atua como depositária das mercadorias enquanto estas se encontram no terminal portuário, assumindo a sua recepção e entrega e cobrando os respectivos fretes.

AGILIZAR (EXPEDITE) -Apressar ou acompanhar ordens de produção ou aquisiçãonecessárias em um período menor do que o lead time normal; adotar ação extraordinária por causa de um aumento na prioridade relativa.

AGREGAÇÃO (AGGREGATION) -Combinar partes para formar conjuntos com base emdeterminado critério, o objetivo é possibilitar que estes conjuntos selam considerados um todo com relação a pontos específicos de consideração ou funções de planejamento. Estes conjuntos podem ser combinados para formar novos conjuntos.

AGRESSÃO BIOLÓGICA – Efetuada por organismo xilófago, podendo ser animal ouvegetal.

AGRESSÃO FUNCIONAL – Provocada principalmente por solicitação mecânica devida acondição de uso, mas também por operação de acondicionamento e movimentação.

AGRUPAMENTO (GROUPING) -Relacionamento de operações e realização conjuntadas mesmas, seqüencialmente, aproveitando a mesma preparação.

AGULHA – Conjunto de peças móveis e paralelas entre si (partes integrandes do aparelhode mudança de via ou chave) – cujo deslocamento leva o trem ou veículo a passar de uma via para outra

AGULHA DIREITA – Conjunto de peças móveis e paralelas entre si (partes integrandesdo aparelho de mudança de via ou chave) situado à direita.

AGULHA ESQUERDA – Conjunto de peças móveis e paralelas entre si (partesintegrandes do aparelho de mudança de via ou chave) situado à esquerda

AGVS – AUTOMATED GUIDED VEHICLE – Rede de movimentação queautomaticamente orienta um ou mais transrobots e os posiciona em determinadas destinações sem a intervenção de qualquer operador.

AIS – Automated Information System ou Sistema Automatizado de Informações.

AJUSTE DE INVENTÁRIO (RECONCILING INVENTORY) – Comparar o estoque físicocom o registro de estoque perpétuo e efetuar as correções necessárias.

ALARGAMENTO DE CORTE – Escavar os taludes dos cortes, com a finalidade de aumentar alargura da plataforma de acordo com o gabarito previsto em normas técnicas.

ALFANDEGADO – Estocagem de produtos em custódia do governo em armazénsalfandegados de onde os produtos podem ser retirados apenas com o pagamento de taxas ou impostos para as entidades governamentais apropriadas.

ALGORITMO WAGNER-WHITIN (WAGNER-WHITIN ALGORITHM) – Técnicamatematicamente complexa de dimensionamento de lote que avalia todas as formas possíveis de se efetuar um pedido para cobrir as exigências em cada período do horizonte de planejamento para chegar a uma estratégia ótima de pedido de todo o programa de necessidades.

ALIANÇA ESTRATÉGICA HORIZONTAL – Ligação com outra empresa com o propósitode ampliação de seu mercado e escopo geográfico.

ALIANÇA ESTRATÉGICA VERTICAL – Ligação com outra empresa com o propósito deobter vantagens e ampliar competências como acesso a capital, tecnologia, habilidades ou atendimento de determinada região.

ALINHAMENTO – Operações necessárias à colocação das filas de trilhos emconformidade com a projeção horizontal do eixo da linha em planta.

ALMA – Parte do trilho, compreendida entre o boleto e o patim.

ALMOXARIFADO – Depósito dos materiais da estrada de ferro.

ALOCAÇÃO (ALLOCATION) – Divisão e/ou distribuição/designação de produtos,atividades, capacidade, custos e/ou recursos para unidades organizacionais como clientes, fornecedores, fábrica ou departamentos.

ALOCAÇÃO (ALLOCATION) – Distribuição ou divisão de custos, produtos, etc. porunidades organizacionais.

ALOCAÇÃO DE PEDIDOS (ORDER ALLOCATION) – Prioridade a pedidos em carteira,determinada a partir da insuficiência de estoque.

ALTERNATE FEEDSTOCK – Estoque de Abastecimento Alternativo.

ALTO GIRO – Característica atribuída a um item ou material devido à sua alta freqüênciade uso ou elevada utilização em determinado período.

ALTURA (H) – Distância entre a face superior e a face inferior.

ALTURA DE CORTE – Diferença de cota entre um ponto do eixo da plataforma e o solonatural.

ALTURA INFERIOR GLOBAL (OVERALL LOWERED HEIGHT) – A máxima dimensãovertical entre o solo e o ponto mais alto do mastro da empilhadeira com os garfos abaixados sem carregamento.

ALTURA LIVRE DE ESTOCAGEM (WORKING WAREHOUSE) – É a distância medida apartir do chão até 30 cm ou mais acima da obstrução mais baixa. A altura livre de trabalho usualmente controlada para evitar que haja contato com a obstrução em uma área de estocagem e para manter um vão livre requerido pelas normas de segurança contra incêndio. É o mesmo que espaço livre.

ALTURA MÁXIMA ABAIXADO (OVERALL LOWERED HEIGHT) – Dimensão máxima,sem carregamento, entre o solo e o ponto mais alto do mastro da empilhadeira com os garfos abaixados.

ALTURA MÍNIMA (MINIMUM URDERCLEARANCE) – Dimensão do ponto mais baixo doveículo até o seu nível de apoio.

AMOSTRA (SAMPLING) – inspeção sobre uma fração representativa do todo.

ANÁLISE DE ENTRADA/SAÍDA (INPUT/OUTPUT ANALYSIS) – Análise das relaçõesentre as variáveis nos processos de produção e distribuição em uma unidade industrial, setor, centro de distribuição quanto a entrada e saída de produtos.

ANÁLISE DE FATOR COM PESO (WEIGHTED FACTOR ANALYSIS) – Tomada dedecisão baseada em uma combinação de diversos fatores, tanto qualitativos quanto quantitativos. Primeiramente, faz-se a identificação dos fatores para, em seguida, estabelecer os pesos e classificar as opções.

ANÁLISE DE INPUT/OUTPUT (INPUT/OUTPUT ANALYSIS) – Análise das relaçõesmútuas entre as variáveis decisivas para os processos de produção e distribuição em um centro de produção, distribuição, unidade industrial, setor e/ou empresa toda quanto a entrada e saída de produtos necessários para o processo.

ANÁLISE DE MODOS E EFEITOS DE FALHA DE PROCESSO (PROCESS FAILUREMODES ANALYSIS) – Técnica analítica de manufatura para assegurar que asfalhas em potencial e suas causas foram consideradas.

ANÁLISE DE PERIGO E PONTO CRÍTICO DE CONTROLE (HACCP) – Metodologia quefornece diretrizes para identificação e controle de riscos para segurança de alimentos.

ANÁLISE DE SUPORTE LOGÍSTICO (LOGISTICS SUPPORT ANALYSIS) – Processointerativo analítico de engenharia de sistemas que identifica e avalia o suporte logístico.

ANÁLISE DO CICLO DE VENDA (LIFE CYCLE ANALYSIS) – Técnica quantitativa deprevisão com bases históricas de demanda de produtos similares.

ANÁLISE DO CICLO DE VIDA (LIFE CYCLE ANALYSIS) – Técnica quantitativa deprevisão que se baseia na aplicação de padrões antigos dos dados de demanda de produtos similares para a nova família de produtos, cobrindo as fases de lançamento, crescimento, maturidade, saturação e declive.

ANÁLISE DO FLUXO DE MATERIAIS (MATERIAL FLOW ANALYSIS) – Utilização dosdados coletados para se fazer o cálculo do fluxo de materiais entre cada unidade de processamento.

ANÁLISE DO VALOR DO TRABALHO REALIZADO (EARNED VALUE ADDED-EVA) – Técnica de controle e gráfica, que acompanha o progresso realizado do projeto.

ANÁLISE DOS GERADORES DE CUSTO (COST DRIVERS ANALYSIS) – Análise dosefeitos dos geradores de custos que auxilia a administração nos programas de otimização.

ANÁLISE E-SE (WHAT-IF ANALYSIS) – Exame computadorizado para simulação deresultados.

ANÁLISE ESTATÍSTICA – Serve de subsídio gerencial para analisar a frequência eintensidade de qualquer item durante determinado período estabelecido.

ANCORADOURO – Local em um porto em que uma embarcação pode ser atracada,frequentemente indicado por um código ou nome.

ANCORAGEM DO TRILHO (RETENÇÃO DO TRILHO) – Uso de dispositivo destinado aimpedir o caminhamento do trilho.

ANP – Automated Negotiation Protocol ou Protocolo de Negociações Automatizadas.

ANSI (American National Standards Institute) – Organização americana que define ospadrões baseados em todas as organizações envolvidas.

ANSI X12 – Um conjunto de normas promulgadas pelo American National StandardsInstitute, para uso na formatação e manuseio de documentos relacionados a compra transmitidos via EDI.

ANTECIPAÇÃO DE EXPEDIÇÃO (FORWARDING) – Consolidação de informaçõesrelacionadas aos produtos e seu transporte, anterior ao envio de remessas.

ANTES DA PROGRAMAÇÃO (AHEAD OF SCHEDULE) – Situação na qual, emdeterminado ponto, já se concluiu mais, ou em que uma atividade foi concluída antes do planejado.

ANTROPOMETRIA (ANTHROPOMETRY) – O estudo das dimensões, pesos eresistências dos segmentos do corpo humano.

AOD – Acknowledgement of Delivery ou Conhecimento de Entrega.

APARELHO DE MANOBRA – Equipamento que permite movimentar as agulhas, dandopassagem para uma outra via.

APARELHO DE MUDANÇA DE VIA (AMV) – Conjunto de peças colocadas nasconcordâncias de duas linhas para permitir a passagem dos veículos ferroviários de uma para outra. O mesmo que chave. Tem como partes principais as agulhas, a contra-agulha ou encosto da agulha, o aparelho de manobra, os trilhos de enlace ou de ligação, coração ou jacaré, calços, coxins e contratrihos.

APICS  (AMERICAN  PRODUCTION  AND  INVENTORY  CONTROL  SOCIETY)  – Associação americana para controle da produção e estoque.

APPLICATION IDENTIFIER – Apresentação das necessidades de capacidade futura combase em pedidos planejados ou liberados durante um período de tempo específico.

APS – Advanced Planning Scheduling ou Planejamento da demanda do suprimento,programação, execução avançada e otimização.

AQUISIÇÃO DE MATERIAIS – Atividade responsável pela procura de fornecedores emateriais e obtenção pela compra, transformação, permuta e doação.

AQUISIÇÃO RÁPIDA DE PEÇAS FABRICADAS (RAPID AQUISITION OF MANUFACTERED PARTS-RAMP) – Processamento de pedido, onde os dados doproduto são intercambiados em formato eletrônico visando a redução do tempo de compra de peças que demoram a serem fabricadas.

ÁREA DE EXPEDIÇÃO – É a área demarcada nos armazéns, próxima dasrampas/plataformas de carregamento, onde os materiais que serão embarcados/carregados são pré-separados e conferidos, a fim de agilizar a operação de carregamento.

ÁREA DE QUEBRA – É a área demarcada nos armazéns, geralmente próxima daentrada, onde as embalagens, produtos e materiais recebidos são desembalados, separados, classificados e até re-embalados de acordo com o sistema ou interesse de armazenamento do armazém/empresa.

ARMAZÉM – Área destinada à guarda de materiais. Lugar coberto, onde osmateriais/produtos são recebidos, classificados, estocados e expedidos.

ARMAZÉM ALFANDEGADO – Bonded Warehousing. Tipo de armazém no qual asempresas colocam os produtos sem a necessidade de pagar taxas ou tarifas aduaneiras. Necessita de aprovação do governo e fica permanentemente sob leis e garantias de funcionamento.

ARMAZÉM CONTROLADO (CAGED STORAGE) – Uma área dentro da fábrica ou doarmazém o qual possui itens sujeitos a furtos, deve se tomar medidas de segurança como por exemplo divisórias ou outros tipos de enclausuradores.

ARMAZÉM DE DADOS (DATA WAREHOUSE) – Dados coletados eletronicamente,especificamente para a análise dos negócios. Primeiramente envolve a avaliação das informações da variável que queremos analisar.

ARMAZÉM DE DISTRIBUIÇÃO (DISTRIBUITION WAREHOUSE) – Armazém deestocagem de produtos acabados.

ARMAZÉM GERAL (PUBLIC WAREHOUSE) – Armazém operado por terceiros paravários clientes.

ARMAZÉM  INTERMEDIÁRIO  (INTERMEDIATELY  POSITIONED  WAREHOUSE)  – Armazém localizado entre fábricas e clientes para prestar melhor atendimento ao cliente e reduzir o custo de distribuição

ARMAZÉM OU WAREHOUSE – Lugar coberto, onde os materiais/produtos sãorecebidos, classificados, estocados e expedidos.

ARMAZÉM PRIVADO (PRIVATE WAREHOUSE) – Armazém operado por uma empresapara seus próprios produtos.

ARMAZÉM TEMPORÁRIO (OVERFLOW WAREHOUSE) – Armazém temporário paraguarda de produtos em picos de demanda.

ARMAZENAGEM – É a parte da logística responsável pela guarda temporária de produtosem geral (acabados, matérias-primas, insumos, componentes, etc.). Pode ter uma variação de tipo de local físico, conforme característica e necessidade do produto, como por exemplo, local coberto, local descoberto, local com temperatura controlada, etc. Pode ter variação de tipo de estocagem, conforme característica e necessidade do produto, como por exemplo prateleira, gaveta, cantilever, baia, etc.

ARMAZENAGEM DE TRANSPORTE (TRANSPORTATION WAREHOUSE) – Custo dearmazenagem economizado.

ARMAZENAMENTO DE MATERIAIS – Atividade que tem a responsabilidade da guarda,preservação e segurança dos materiais. Incluí o recebimento, conferência, fornecimento, transferências e devoluções.

ARMAZÉNS ESTRUTURAIS – Os armazéns estruturais são recobertos com lona, tecidosintético ou coberturas especiais e têm a estrutura de aço ou alumínio. Diferentemente dos armazéns infláveis, os estruturais não se prendem a limitações de comprimento ou largura, podendo-se conjugá-los sem limites em diferentes dimensões desde que se disponha da área necessária para operação.

ARMAZÉNS INFLÁVEIS – São chamados estruturas infláveis – ou pneumáticas – aquelassustentadas pela diferença de pressão de ar entre as suas partes interna e externa, criada com o auxílio de ventiladores. Os ventiladores são acionados mecanicamente por motores elétricos e a diesel e são dimensionados de acordo como volume de ar necessário à estrutura.

ARRANJO FÍSICO – É a arte e a ciência de se converter os elementos complexos e inter-relacionados da organização da manufatura, e facilidades físicas em uma estrutura capaz de atingir os objetivos da empresa pela otimização entre a geração de custo e a geração de lucros.

ARRENDADOR (LESSOR) – Parte que concede a propriedade de um bem sob acordo deleasing.

ARTIGO COMPOSTO (PARENT ITEM) – Produto constante em uma lista de peças que écomposto por todos os itens constantes nos subcomponentes.

ÁRVORE DE PRODUTOS (PRODUCT TREE) – As especificações e instruções paraserem consideradas através das operações, processo ou atividade.

AS/RS – Automated storage/retrieval system. Os sistemas de estocagem e coletaautomáticos (AS/RS) capazes de operar com unidades de movimentação mais fracionadas são conhecidos como miniload. No entanto, mesmo os miniload são capazes de operar apenas com caixas, ou itens de grande volume. O seu funcionamento é bastante parecido com o do trans-elevador (unit load). Entre as principais vantagens do miniload pode-se destacar a sua precisão e velocidade, além da potencialidade de operar com uma grande variedade de itens. Entre as desvantagens, destacam-se o elevado custo de implementação e manutenção, e a falta de flexibilidade desses sistemas.

ASA (WING) – Parte do convés que se projeta além dos dormentes (vigas mestre),projetada para elevação por meio de guindaste.

ASAP (AS SOON AS POSSIBLE) – Tão logo quanto possível.

ASME (AMERICAN SOCIETY OF MECHANICAL ENGINEERS) – Sociedade Americanados Engenheiros Mecânicos.

ASN – Advanced Shipment Notification ou Aviso Antecipado de Embarque, que é o avisoaos clientes informando quando seus produtos irão chegar.

ASP – PROVEDOR DE SERVIÇOS E APLICAÇÕES (APPLICATION SERVICE PROVIDER – ASP) – É uma empresa que oferece a infra-estrutura. os programas e até o gerenciamento de operações B2B para organizações que não querem fazer investimento próprio nessa área – e, para isso, pagam uma taxa mensal ao ASP.

ASSEMBLE – TO – ORDER – Ambiente industrial onde o produto ou o serviço possa sermontado a partir de um pedido do cliente, considerando que as componentes chaves estão providenciados antecipadamente.

ASSEMBLE TO ORDER – Só é fabricado por encomenda.

ASSISTÊNCIA AO FORNECEDOR (Supplier Technical Assistance) – Grupo para osuporte de fornecedores para garantir a qualidade dos produtos.

ASSOCIACÃO INTERNACIONAL DE TRANSPORTE AÉREO (INTERNATIONAL AIR TRANSPORT ASSOCIATION – IATA) – Organização internacional de companhias aéreas, fundada em 1945, com o objetivo de promover o tráfego aéreo comercial. Feito através da cooperação entre partes envolvidas e o cumprimento de certas regras, procedimentos e pagamento de tarifas relacionadas a carga e passageiros.

ATACADISTA – Intermediário entre fabricantes e varejistas. Compra e vende asmercadorias, trabalhando para diversos fornecedores, inclusive empresas concorrentes.

ATENDIMENTO DE PEDIDOS (COMO INDICADOR DE EFICÁCIA) – É a quantidade depedidos atendidos prontamente, dividida pelo total de pedidos recebidos, vezes 100.

ATENDIMENTO DO PEDIDO (ORDER FULLFILMENT) – Processo que envolve orecebimento dos pedidos, planejamento, programação e entrega dos produtos.

ATIVIDADE DE VALOR AGREGADO (VALUE-ADDED ACTIVITY) – Atividade queadiciona valor ao cliente ou satisfaz uma necessidade organizacional.

ATIVIDADE QUE NÃO AGREGA VALOR (NON- VALUE-ADDED ACTIVITY) – Atividadenão contribuidora no processo de adicionar valor ao cliente ou necessidades organizacional.

ATIVIDADES DE APOIO (SUPPORT ACTIVITIES) – Atividades e habilidades gerenciaislogísticas relacionadas a redução, administração e disposição de detritos perigosos ou não derivados de produtos ou embalagens. Inclui distribuição reversa que faz com que os produtos e Informações sigam na direção oposta das atividades logísticas normais. Historicamente, o processo logístico termina uma vez que o produto alcança o consumidor. A logística reversa mistura as atividades da logística clássica com as atividades da logística conservadora, executando atividades de reciclagem e controle as quais preservam o meio ambiente e conservam as matérias primas.

ATO – Assemble To Order, só é fabricado por encomenda.

ATP – Advanced Technology Program.

ATP – Available To Promise

AUDITORIA – Uma comparação objetiva entre as ações implementadas e as políticas eplanos estabelecidos.

AUTO ID – Identificação Automática.

AUTOMAÇÃO – Está relacionado a automatização de procesos e sistemas, tornando-osindependente da atuação manual e repetitiva do ser humano.

AUTOPORTANTES – Neste sistema são as próprias colunas das estruturas dearmazenagem que suportam todos os esforços próprios do edifício, seja nas laterais ou na cobertura. Em função disso, a estrutura tem que ser estudada especialmente para que possa receber diretamente as paredes exteriores. É utilizado para alturas acima de 20 m e há tolerância tanto no projeto quanto na fabricação das estruturas mínimas. Estas exigências são necessárias, pois são utilizados transelevadores neste nível de altura.

AUTORIDADE PORTUÁRIA (PORT AUTHORITY) – Entidade de direito públicoresponsável pela administração, gestão e exploração do porto e que, para além disso, exerce o controle dos serviços portuários. Tem personalidade jurídica e património próprios e dispõe de plenos poderes para agir no sentido de cumprir os seus objetivos, segundo o princípio geral de autonomia de gestão.

AVALIAÇÃO – Parte do controle que consiste na comparação da situação real com aplanejada, identificação de desvios e proposição de ações corretivas.

AVISO ANTECIPADO DE EMBARQUE (ASN – ADVANCED SHIPMENT NOTIFICATION) – Informe antecipado da data de chegada dos produtos.

AWB – Air Waybill ou Conhecimento de Transporte Aéreo.