Manter o site, de um modo geral custa tempo e dinheiro, mas fazemos isso porque acreditamos que o nosso trabalho é importante. Saiba mais

Encontre o local que faça a coleta ou e reciclagem dos resíduos sólidos e perigosos. Clique aqui

Apple abandonando carregador no iPhone 12 não ajuda muito o planeta

O iPhone 12 virá apenas com um cabo USB-C para Lightning

Em 16 de outubro de 2020, a Apple teve uma conferência online onde mostrou a nova linha de IPhones. Embora ele venha com um processador mais rápido, nova tecnologia de câmera e recursos 5G, ele talvez não tenha o recurso mais importante: um carregador, mas o que isso significa para o meio ambiente?

 A decisão da Apple de não incluir mais carregadores de parede em sua caixa do iPhone 12 é boa para os negócios, mas com pouco impacto positivo para o meio ambiente do planeta. A mudança economiza dinheiro da empresa, mas alguns dos benefícios ambientais podem ser compensados por pessoas que compram carregadores separadamente.

Ao contrário dos modelos anteriores, o iPhone 12 virá apenas com um cabo USB-C para Lightning. A empresa disse que a exclusão do carregador de parede levaria a menos mineração, embalagem e emissões de dióxido de carbono de aquecimento do planeta associadas à fabricação dos produtos. O anúncio é o mais recente movimento que a Apple fez para se tornar uma empresa mais ambientalmente amigável, e segue uma grande promessa que fez em julho para conter as emissões de gases de efeito estufa.

“Eles venderam isso como uma espécie de regra ambiental”, diz Angelo Zino, analista sênior do setor da empresa de pesquisa de investimentos CFRA Research. Mas o movimento de corte de desperdícios da Apple também é um bom movimento financeiro. “Claramente, a linha de fundo tem muito a ver com isso.”

Com base em pesquisas da Universidade de Bari Aldo Moro, o processo de fabricação gera resíduos que são 200 vezes  o peso do telefone. Embora exista a possibilidade de reciclar os resíduos, as empresas geralmente tomam a rota mais barata de despejá-los em aterros sanitários.

Isso, por sua vez, libera resíduos tóxicos no solo que podem contaminar fontes subterrâneas de água que afetam humanos, animais e vida vegetal. Estima-se também que até 2020, a Europa gerará mais de 12 milhões de toneladas de resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos por ano.

Não devemos esquecer que mesmo antes das empresas começarem a montar um telefone, o lixo já é produzido na forma de mineração para matérias-primas. O primeiro e mais óbvio ponto é o desmatamento.

Não só mata plantas, mas os animais terão que ser expulsos de suas casas e habitats, e isso pode levar à extinção.

A transição para o 5G é uma grande razão pela qual a Apple pode estar procurando uma redução de custos, incluindo menos acessórios com seus telefones, dizem analistas de tecnologia. Pela primeira vez, toda a linha de novos telefones da Apple suportará o 5G. Isso torna mais caro fazer o iPhone 12 em comparação com o iPhone 11 porque os componentes que permitem velocidades 5G são mais complexos e caros.

Zino estima que os componentes de radiofrequência sozinhos no novo iPhone 12 vão custar de 30 a 35% mais do que nos iPhones anteriores. “A Apple vai procurar cortar custos em outros aspectos do telefone”, diz ele.

O problema é que comprar carregadores separadamente pode significar mais desperdícios de embalagens e emissões de entregas separadas. Parte disso pode aumentar a pegada de carbono da Apple, e algumas delas podem ficar afixadas nas pegadas de carbono de diferentes empresas se os consumidores decidirem comprar os acessórios de outros fornecedores. Isso não necessariamente reduz as emissões em geral; ele apenas espalha os gases de efeito estufa ao redor entre diferentes empresas.

“Isso será uma grande benção, pelo menos no curto prazo, para fabricantes de acessórios que vão vender carregadores USB-C”, diz Avi Greengart, fundador e analista-chefe da consultoria Techsponential.

Isso porque o cabo que está incluído no iPhone 12 não é compatível com os blocos de energia incluídos em muitos iPhones anteriores. Os consumidores que não tiverem um carregador compatível por aí precisarão comprar um carregador de parede USB-C ou carregador sem fio para usar seus novos telefones.

Há outra razão pela qual a eliminação de acessórios pode não resultar em um corte tão grande nos gases de efeito estufa como a Apple prevê. O novo iPhone 12 será enviado em embalagens menores, já que a caixa será embalada com menos material. Isso permite que 70% mais caixas sejam enviadas em uma palete, de acordo com a empresa. Mais caixas em cada palete devem se traduzir em menos viagens de entrega e menos poluição dos escapamentos, segundo a empresa. Mas isso é não reflete a realidade, diz Sara Behdad, professora associada de ciências da engenharia ambiental na Universidade da Flórida.

Só porque há mais espaço em um palete, não significa que será preenchido. “O envio para as lojas é baseado na demanda”, diz Behdad. O quão densamente uma palete é preenchida pode depender de quantos telefones um varejista acha que venderá e quanto espaço de armazenamento está disponível. Assim, embalagens menores não necessariamente levam a uma enorme queda nas emissões de transporte.

Há tantos fatores que podem lançar uma chave nas iniciativas de sustentabilidade das empresas. “Na verdade, é muito difícil fazer uma afirmação específica sobre o quão sustentável um produto específico poderia ser”, diz Behdad. “Novos recursos (que afirmam tornar os produtos mais sustentáveis) nos trazem muitas perguntas”

Essa incerteza deixa espaço para o ceticismo — especialmente quando se trata de mudanças incrementais destinadas a enfrentar problemas gigantes como mudanças climáticas ou lixo eletrônico. “Vender o novo iPhone 12 com ou sem carregadores de bateria incluído nos distrai da questão maior: por que a Apple e outras empresas de eletrônicos não assumiram maior responsabilidade por reutilizar e reciclar seus produtos, a grande maioria dos quais (ainda estão) descartados nos EUA e globalmente”, disse Scott Cassel, CEO do Instituto de Administração de Produtos sem fins lucrativos.

A empresa teria um impacto maior se tornasse seus produtos mais fáceis de reformar para que eles não se tornassem “obsoletos e lixo depois de alguns anos”, escreveu Cassel. Os AirPods da Apple, por exemplo, tendem a ter uma vida útil mais curta do que os fones de ouvido tradicionais, porque é tão difícil substituir a bateria de íons de lítio dentro.

“Historicamente, sinto que eles realmente estiveram na vanguarda em termos de falar sobre mudanças climáticas”, diz Zino. A influência da empresa no comportamento da indústria e do consumidor a deixa com muita responsabilidade. “Há tanta coisa que eles ainda podem fazer.”