Manter o site, de um modo geral custa tempo e dinheiro, mas fazemos isso porque acreditamos que o nosso trabalho é importante. Saiba mais

Encontre o local que faça a coleta ou e reciclagem dos resíduos sólidos e perigosos. Clique aqui

5 dicas de como ter um comportamento sustentável

Melhores práticas para reduzir sua pegada ambiental

Em termos de meio ambiente, nem sempre sabemos de onde começar. É melhor apostar em práticas de desperdício zero? Para pendurar nossa dieta? Ou não comprar produtos específicos? Nem todos as ações “verde” são igualmente eficientes, ambientalmente falando.

Mas olhando mais de perto para a pegada ambiental de uma pessoa comum, e em particular sua pegada de carbono, podemos identificar as ações mais eficazes que podem ser tomadas para proteger o planeta. Aqui estão 5 práticas que não só permitirão que você seja mais ecológico, mas também preservará sua saúde e sua carteira.

1 Mude seus meios de transporte

Deixe o carro de lado

Levar seu carro todos os dias para ir trabalhar é provavelmente a coisa mais poluente que você pode fazer, portanto, se a primeira coisa que você pode fazer para ser um pouco mais ecológico é desapegar um pouco do volante.

Claro, isso não é necessariamente fácil, especialmente se você vive em áreas rurais ou em subúrbios, onde o transporte público é mal desenvolvido. Mas se você mora na cidade, fica muito mais fácil na maioria dos casos! Um estudo mostra que, em média, os moradores de cidades que vivem em grandes centros urbanos têm um impacto menor no meio ambiente do que aqueles que vivem em cidades, especialmente nas grandes cidades, onde é muito fácil se locomover sem usar o carro. 

Escolha bicicleta

Nas cidades, o ciclismo é muitas vezes a maneira mais rápida de transporte! 15 a 16 km/h, contra, por exemplo, apenas 14 km/h para um carro no trânsito. Para todas as viagens de menos de 5 km, o ciclismo é a forma ideal de transporte. É bom para nossa saúde também, com o benefício de que ela pode preservar nossa saúde de forma mais eficaz do que ir regularmente à academia, de acordo com um estudo publicado no American Journal of Preventional Medicine. E não vamos esquecer os benefícios econômicos – usar bicicletas em vez de carros ajuda a economizar dinheiro com gasolina também!

Use transporte público

O transporte público é muito menos poluente do que usar um carro particular. Em média, bondes, metrô e trens têm uma pegada de carbono entre 20g e 45g de CO2 por km por passageiro. Paralelamente, os carros individuais emitem cerca de 135g de CO2 por km e por passageiro (em condições de tráfego muito fluidos) e cerca de 310 g de CO2 por km e por passageiro na cidade (sob tráfego). Os ônibus emitem em algum lugar entre – 80g de CO2 por km por passageiro, aproximadamente.

Também é importante considerar o deslocamento e o tempo de atraso. Em Paris, por exemplo, 97% dos passageiros do metrô chegam a tempo, como é o caso de cerca de 90% dos passageiros do RER. Em áreas urbanas, a moto é quase sempre tão rápida quanto o carro (veja a comparação em Albi, Vannes ou Paris). Quanto à caminhada: para um trajeto de 2 a 3 km, uma caminhada é sistematicamente mais rápida que o transporte público, e às vezes até mais rápido, pois não há tempo perdido procurando um lugar para estacionar.

Caminhada

Se você tem sorte de morar perto do seu local de trabalho – escolha a caminhada! É grátis, não emite poluição, e é bom para sua saúde. Na verdade, a caminhada é um dos melhores métodos de prevenção do diabetes, doenças cardiovasculares e câncer colorretal.

Caso essas alternativas não sejam possíveis (porque o transporte público não atinge sua área de trabalho, por exemplo), outras soluções, como a intermodalidade, por exemplo, também podem ser outra opção. Pegue seu carro perto de uma estação de metrô e de lá pegue uma opção de transporte público que chegue ao seu local de trabalho! Ou pegue um transporte público para uma área urbana de aluguel de bicicletas perto do seu trabalho. A “carona” também pode ser uma opção inteligente se você tiver colegas que moram perto ou amigos que trabalham perto.

2 – Escolher e manter sua casa (e até mesmo renová-la)

O segundo recurso mais poluente para muitos países é a habitação. Nessas emissões, está principalmente o aquecimento (e o consumo de energia elétrica) na conta do ambiente. Manter luzes acesas em um local pouco iluminado é um gasto desnecessário, além do alto consumo energético, substitua as suas janelas e apague as luzes!

Mas isso não é tudo: habitação coletiva (casas, apartamentos) também são mais ecológicas do que as casas individuais, em média. O habitat concentrado possibilita o consumo dos recursos consumidos ( um habitante de uma única casa consome 7% mais energia do que um morador de um apartamento). Ter uma única casa e um grande jardim é melhor, e incentiva a expansão urbana. Então aposte em pequenas moradias, perto do centro e do transporte público.

3 – Reduza ou altere o consumo de carne e laticínios

Um dos culpados pelas emissões de gases de efeito estufa no consumo de todos são os alimentos. Para reduzir nossa pegada de carbono, é necessário reduzir o consumo de leite e produtos de carne.

Para produzir 1 litro de leite, cerca de 1 kg de CO2 é geralmente emitido (na França, mas de acordo com um estudo dos EUA, esse número é superior a 4 kg de CO2 por litro). Na verdade, eles produzem muito metano (um poluente muito poderoso, que é responsável pelas mudanças climáticas), e eles não estão pastando. Quando sabemos que são precisos 22 litros de leite para fazer 1 kg de manteiga, realmente vemos o grande impacto que temos no meio ambiente.

Nos últimos anos, alguns estudos têm sugerido que o consumo excessivo de queijo pode aumentar o risco de desenvolver certos cânceres devido ao excesso de cálcio. Do ponto de vista nutricional e saúde, devemos tentar reduzir o consumo de produtos lácteos.

Mas os laticínios não são os únicos responsáveis: os animais (carne) poluem enormemente. De fato, a carne é um dos alimentos mais poluentes do mundo, com em torno de 11 kg de CO2 emitido por 1000 calorias. Por outro lado, carne de porco, frango ou pato são pouco menos de 4 kg de CO2 por 1000 calorias, como frutas e legumes (em média), enquanto cereais e vegetais são em média 2,8 kg de CO2 por 1000 calorias. Um estudo da Shrink That Footprint mostra que uma dieta sem carne e cordeiro é muito mais ecológica do que uma dieta rica em carne bovina (praticamente equivalente a uma dieta vegetariana em termos de impacto ambiental).

É bem possível consumir menos carne (e menos carne bovina em particular), e é ainda mais importante. Por exemplo, a OMS estima que o consumo excessivo de carne vermelha (e, em particular, carne processada) é provável que têm um efeito negativo sobre a prevalência de cânceres, especialmente quando a carne é cozida ou cozida a altas temperaturas. Então, para ser mais ecológico e saudável, comer menos carne bovina, menos cordeiro e menos carne em geral!

4 – Viaje para lugares mais perto de casa

Quando falamos de poluição e impacto ambiental, uma coisa raramente é mencionada: os ricos sistematicamente poluem mais do que os pobres. Além do fato de consumirem mais (o que aumenta sua pegada de carbono), o problema é principalmente seu modo de vida e seus hábitos. Por exemplo, uma simples viagem de avião ao exterior. Se você decidir ir para o México, encontrará 2,4 toneladas de CO2 equivalente (quase um terço da pegada média anual de carbono de um francês).

Então, se o seu objetivo é ser mais ecológico, opte por ir para ir para lugares mais perto, de trem ou ônibus, por exemplo. Não só economizará dinheiro, como protegerá o planeta. 

5 – Seja um membro ativo da sua comunidade

As pessoas que vivem sozinhas estão poluindo em média mais do que grandes famílias. A razão é simples: quando há uma moradia, a energia é dividida entre os indivíduos. Quando você está sozinho, o gasto é único. Ou seja, colegas de quarto e colegas de casa são, portanto, uma boa ideia.

Mas viver em uma comunidade também inclui aprender a compartilhar e a trocar. Se a economia compartilhada e a economia colaborativa fossem difundidas entre as comunidades, a teu traria enormes economias de recursos. E podemos aplicar a mesma ideia ao carona e muitas outras coisas!

Com esses 5 atos, você pode reduzir drasticamente sua pegada de carbono. Claro, outros hábitos são importantes: reduzir e classificar resíduos, reciclagem etc. Mas em termos de eficiência, estes 5 são os mais eficazes e fáceis de alcançar.

Com esses 5 gestos você certamente está mais bem preparado para ajudar a proteger nosso planeta.